Quando mudamos de casa a gente muda também.

O QUE MUDA QUANDO NOS MUDAMOS?

Pela terceira vez em cinco anos eu mudei de casa. Domingo de páscoa não teve chocolate, teve aquela trabalheira intensa, do tipo que você não conseguiria fazer sem a ajuda dos familiares.


É quando a gente se muda que nos damos conta do quanto temos. A gente vai juntando coisas, comprando outras, acumulando objetos, guardando lembranças. Na arrumação a gente acha fotos velhas, faturas, bilhetes recebidos, meias furadas, roupas que não cabem mais.


Esvaziar a casa aos poucos é esvaziar a si mesmo. Cada móvel que sai é uma lembrança que volta. Aquele jogo de xícaras que ganhou dos amigos de trabalho lembra o respeito e admiração que ficam; os post-its com os nomes escritos de quem já comprou meus livros; o aquário ainda vazio que pede por peixes coloridos para enfeitar a casa; o guarda-roupas comprado com a ajuda da amiga; o quadro pintado por alguém especial, o outro que não vieram buscar.


Na vida a gente muda por dois motivos: quando as circunstâncias atuais são insustentáveis ou quando desejamos um futuro diferente. Basicamente somos movidos pela dicotomia do incômodo x satisfação.


E a minha pergunta desde ontem é justamente o título desse texto: o que muda quando nos mudamos? Sim, por que não são apenas os móveis que mudam de lugar. Nós mudamos também. É a necessidade de adaptação batendo na porta. A gente se preenche de novas permissões e possibilidades de novos encantamentos.


Pensando positivamente, mudar de casa pode ser A chance de mudar a si mesmo. Deixar para trás tudo e todos que não acrescentam. Eu acredito muito naquela ideia de que a casa reflete o nosso estado de espírito. A minha nova casa é muito maior que o kit-net que eu morava. 


A casinha pequena fazia as coisas terem o seu lugar planejado e deixava tudo mais aconchegante, mais íntimo. Na casa maior cabe mais gente, entra mais vento, mais sol, armam-se mais redes. Tudo o que for bom terá mais espaço... apareça qualquer dia para tomar um café. É dom recomeçar!

Todo o conteúdo publicado nesta seção, é de inteira responsabilidade do seu autor. A Agenda Natal não necessariamente concorda com as opiniões aqui expressas e não impede a liberdade de expressão de cada pessoa que colabora com o site.

Natal Tatoo